Gamificação: o que fazer e o que não fazer na tentativa de engajar seus clientes

Gamificação

0806

Gamificação: o que fazer e o que não fazer na tentativa de engajar seus clientes

A utilização da mecânica de jogos no contexto dos negócios é uma das práticas preferidas de muitas empresas hoje em dia para estimular comportamentos em seus clientes ou stakeholders. É fácil saber porque investir em técnicas de gamification está virando uma estratégia cada vez mais atrativa: ela é amplamente aplicável e envolve elementos fundamentais do comportamento humano, engajando os usuários a atingirem o objetivo esperado, de maneira natural.

Costumamos citar, como exemplo de estratégia de gamificação, os programas de recompensa de companhias aéreas. Segundo constatado em pesquisa realizada pela Webflyer, existem cerca de 90 milhões de membros de programas de milhagem de companhia aéreas no mundo, sendo que praticamente todas as empresas aéreas oferecem algum tipo de programa de fidelização.

Então, nos perguntamos: por que esse tipo de estratégia é tão usada? As pessoas optam por uma mesma companhia aérea toda vez que realizam uma viagem o fazem pelos benefícios e recompensas que podem obter. Milhas acumuladas podem ser trocadas por novas viagens, descontos em passagens ou ainda em compras de produtos e serviços de empresas parceiras, como locação de veículos, diárias em hotéis e pacotes turísticos.

Erros comuns na hora de “gamificar”

É importante que, se sua empresa considera desenvolver esse tipo de estratégia, faça com profissionais que entendam do assunto. É preciso tomar cuidado, pois quando utilizada de maneira insistente, a gamificação pode tornar-se algo massante, surtindo o efeito contrário nos clientes, fazendo com que eles vejam sua marca de maneira negativa.

Paralelo a isso, é preciso cuidar para que a estratégia de gamification não seja apenas uma diversão sem fundamento para o usuário. É importante que ela seja, sim, divertida e desperte o interesse, mas sempre ressaltando os benefícios de fechar negócio com a sua empresa ou comprar/utilizar seus produtos e serviços.

Conforme abordamos em um artigo anterior, satisfazer um cliente é diferente de fidelizá-lo, então aproveite o engajamento obtido com suas ações de gamificação para confirmar aos seus consumidores que eles foram bem sucedidos por escolher o seu negócio para se relacionarem.

Exemplo de gamificação bem aplicado

O Dropbox é um ótimo exemplo de tudo o que falamos acima. A ferramenta possui milhões de usuários, não só por sua utilidade inquestionável, mas também pelas estratégias de background (sendo uma delas a gamificação) que auxiliam sua divulgação e engajamento dos usuários.

Quando um usuário se inscreve, o Dropbox imediatamente oferece opção de armazenamento gratuito em troca de diversas “tarefinhas” simples que promovem ainda mais os serviços, como aprender sobre o produto através de um tutorial e o compartilhamento nas redes sociais.

Empresas que decidem implantas e gerenciar estratégias de gamification por conta própria, nem sempre possuem o know-how necessário para tal, e acabam confundindo os conceitos, colocando todo o trabalho em risco. Se os objetivos não forem alinhados ao negócio e ao perfil dos clientes, a gamificação pode induzir a erros, entregar resultados insuficientes e frustrar, não só sua empresa, mas principalmente seus consumidores.

Interessado em gamificação?

Caso queira conhecer melhor esse tipo de estratégia de engajamento, e como é nossa atuação nesse sentido, converse com um de nossos consultores.